16.5.15

Hyakko

Hyakko
Fukuda Michio - Nippon Animation
Anime - 13 Episódios
2008
5 em 10

Mais um fatia de vida, desda vez acompanhando as aventuras e desventuras de quatro meninas não muito fofas mas cheias de energia. Elas estudam numa escola de contornos agigantados, em que frequentemente se perdem, encontram muitas pessoas novas e fazem asneiras em seguimento de outras asneiras.

Em termos de história, temos apenas a relação da vida diária dos personagens que, apesar de característico do género, acaba por se apresentar insuficiente. Isto porque os personagens em si não têm força bastante para que as suas interacções mantenham um nível elevado de interesse. Em cada episódio conhecemos novos personagens, que depois se tornam recorrentes, mas o desenvolvimento que é dado a cada um deles não tem nada de espectacular, tocante ou com alguma simples densidade, o que torna todos os eventos numa sucessão de caretas cómicas. Isto acaba por não funcionar muito bem, sendo que o anime rapidamente se torna irrelevante. O grupo principal tem as suas características próprias, mas os seus traços não estão bem definidos, acabando cada uma delas por cair dentro de um lugar comum ou mesmo por aparecer como pessoa em branco, sem qualquer tipo de desenvolvimento que lhes possa dar um lugar ao sol. Para mais, outras personagens têm comportamentos erráticos, com mudanças rápidas na personalidade que não jogam bem dentro do contexto.

A arte é brilhante, mas o design dos personagens é desactualizado para a época, existindo falhas recorrentes em termos de perspectiva. Para mais, grande parte do anime consiste nas tais caretas, nos gags, nos momentos cómicos, o que - em termos artísticos - necessitaria de uma abordagem diferente para funcionar de uma forma original e interessante para o nosso olhar crítico.

Finalmente, a música. Baseada sobretudo em peças eruditas muito conhecidas, é pouco inspirada e muito repetitiva. As vozes, essas, tornam as personagens um pouco mais cativantes, mesmo com todas as suas falhas.

Um anime que será rapidamente esquecido.

Sem comentários:

Enviar um comentário