12.5.15

Heroic Age

Heroic Age
Noto Takashi - Xebec
Anime - 26 Episódios
2007
6 em 10

A ficção científica é um tema recorrente no anime. Heroic Age tem uma visão um pouco diferente e bastante original. Mas será que consegue avançar com a ideia de forma a colocar a série em outro nível? É o que veremos.

Neste universo, existem cinco tribos: Golden, Silver, Bronze, Heroic e Iron. Nós, seres humanos, somos Iron e somos os mais recentes. Por alguma razão, Silver e Bronze estão dedicados em destruir-nos. Para nos proteger, temos um elemento da Heroic, um jovem adolescente de 120 anos chamado Age (Eiji). Mas as outras tribos também têm o seu próprio monstro heróico... E agora, o que fazemos?

Esta é uma narrativa recheada de acção que irá satisfazer todos os fãs de space-opera. No entanto, existem alguns elementos que a impossibilitam de atingir um patamar superior. Para começar, está pouco explicada a origem e função das diversas tribos e raças. Fora os insectos Bronze, são todos muito semelhantes a seres humanos, o que - tendo em conta que têm poderes e características distintas - não faz muito sentido. Para mais, os elementos dourados são tidos como uma espécie de divindade extraterrestre, que mudou de dimensão ou de universo mas que, apesar de querer que os outros os acompanhem, condenou as outras tribos a cumprir uma série de missões e passar por muitos arcos em chamas para os poderem seguir. As explicações são poucas e, nesse aspecto, pareceu-me que a série era bastante incompleta.

Temos uma grande variedade de personagens, representativas das diversas espécies (fora os bronze - por alguma razão aparecem muito pouco-), que têm um desenvolvimento relativo. No entanto, o foco principal é dado a Age e à sua princesa Dianela (ou Daniela, como eu lhe chamo). Ambos são personagens bastante típicos, o rapaz bem disposto e a menina carinhosa, o que torna as suas interacções - à qual a série se dedica bastante - um pouco previsíveis.

A animação tem aspectos memoráveis, apesar da fraca utilização de CG. Fica a crítica ao design de alguns elementos, nomeadamente os monstros Heroic, que se parecem extraordinariamente (acaso ou não) com EVA Units.

A OP e ED puxam para uma emoção que não existe ao longo da série. Dentro do resto da OST, temos canções bastante típicas dentro do género, mas estão adequadas.

Apesar de tudo, é um anime agradável e com o seu interesse.

Sem comentários:

Enviar um comentário