11.8.14

Todos os Contos Volume 2

Todos os Contos 2
Edgar Allan Poe
Vários
Contos

Ora bem.

Recebi este livrão lindíssimo pelo Natal, como presente do meu excelso pai. Ele prometeu que voltaria um dia com o primeiro volume, que se encontrava esgotado, mas até agora ainda não há resultados. Mas, como são contos, tanto faz ler o primeiro ou o segundo, porque não há conexão. Sobre o estilo de escrita, já conhecia um pouco, devido a uma outra edição de contos que já tinha (e que agora, provavelmente, irei vender). Mas aprofundemos um pouco:

Ao contrário do que eu pensava, Poe não é apenas um escritor do gótico. A sua literatura é extremamente variada, indo desde a crítica e análise à comédia surrealista. Revela ser uma pessoa extremamente culta, no que respeita a civilizações antigas e, estranhamente, a barcos.Mas, sobretudo, a sua escrita é muito descritiva. Existem contos que se compõem simplesmente da observação do mundo natural, da arquitectura ou, simplesmente, à disposição de móveis num quarto.

Poe revela ter um apuradíssimo sentido de humor, cheio de uma ironia absolutamente deliciosa. Apesar de não tratar de assuntos actuais, não podemos deixar de nos rir de uma forma ou de outra, porque está tudo escrito de maneira tão engraçada.

Existem alguns contos que falam sobre a vida e a morte, mas de uma forma muito mais profunda, através de diálogos entre personagens desconhecidos, num universo desconhecido que pelos vistos paira entre a vida e a morte. Achei-os muito tocantes, pelo seu estilo clássico.

Não consigo escolher um conto preferido, mas poderei falar de um que se destaca dos outros. Trata-se do último (Narrativa de A. Gordon Pym) e distingue-se por ser o maior, com mais de 200 páginas. É uma espécie de diário de bordo das aventuras de um jovem no mar, com naufrágios, piratas e selvagens em ilhas do pacífico sul. Apesar de eu não perceber quase nada sobre termos náuticos, usados e abusados, foi fascinante ver como sobreviveram ao naufrágio e como exploraram o (quase) Polo Sul. O final soube a pouco e deu muita vontade de ler o resto das aventuras que, convenhamos, ficavam cada vez e cada vez mais estranhas.

Portanto, meu pai! Venha depressa com o primeiro volume! Quero ler mais! Quero ler tudo!!!

Sem comentários:

Enviar um comentário