19.8.12

Meia Noite em Paris

QUINTA DIMENSÃO: 11/16

Meia Noite em Paris
Woody Allen
Filme
2011
 9 em 10

Desta vez não foi dobrado, apesar de birra de criança de oito anos que não sabe ler. E um filme em que se percebeu o nível cultural da audiência dado que 80% dela adormeceu.

Eu não sou muito apreciadora de Woody Allen desde que percebi que as mulheres dele nunca usam sutiã. Mas este filme foi tudo. Foi belo, foi engraçado, foi inspirador.

Gil é um pobre triste atormentado por uma noiva desinteressante que, por uma magia qualquer que eu quero que me aconteça a mim, vai parar aos anos 20, um mundo povoado de escritores, compositores, pintores e artistas em geral. Que sorte a dele! Isto dá-nos oportunidade de ver cenas hilariantes (rinocerontes também!) e de aprender um pouco sobre a vida e obra desses autores. É delicioso indentificá-los e "estar com eles" numa festa ou a beber um copo. Do pouco que conheço pareceu-me que todos estavam muito bem caracterizados.

Com uma pequena moral por trás, este foi um filme que me inspirou a trabalhar mais e a escrever mais. Posso adiantar-vos que neste momento estou desejosa de escrever uma história sobre um beijo, mas que não sei como a abordar. Acho que vou seguir os conselhos do filme e ser simples, observar a realidade e adicionar um pouco de sonho. Talvez as minhas histórias tenham sonho a mais...

Mas o melhor do filme são as imagens de Paris, acompanhadas por uma música muito especial. Dá vontade de lá voltar e de procurar os autores. Dá vontade de lá voltar e dar passeios nocturnos (com cuidado para não sermos mortos por rappers). Dá vontade de lá viver. Sempre pensei que Montmartre fosse o lugar ideal para mim. Talvez seja mesmo.

Sem comentários:

Enviar um comentário