10.2.14

Gorky Park

Gorky Park
Martin Cruz Smith
1981
Policial

Este livro veio num BookRing do BookCrossing. Escolhi participar porque achei que ia gostar, achei que era mesmo Russo. Mas talvez por ter lido algo mesmo Russo há pouco tempo (O Doutor Jivago), não gostei mesmo nada. Foi uma dificuldade ler o livro e estava sempre quase a desistir de o ler. E percebi logo que não ia gostar na primeira frase.

O problema essencial deste livro é que o autor não é russo e não conhece a Rússia. Portanto, todas as descrições e elações e conclusões do livro... Passam por erradas. Agressivas. Inexactas. Quase, diria mesmo, desrespeitosas. O personagem principal está pouco desenvolvido e baseia-se quase exclusivamente na sua revolta contra o sistema. Ora, pelo que o autor descreve, esta é uma terra onde todos são infelizes e corruptos, excepto o personagem principal. Não conheço a Rússia, muito menos a Comunista, mas duvido que todas as pessoas fossem infelizes e corruptas.

A história desenvolve-se muito lentamente, com a conclusão evidente. A narrativa dá voltas sobre si própria, voltando sempre ao problema original (os corruptos vão matar o personagem principal porque ele foi contra o sistema). Nunca mais acaba e todos os detalhes à la Crime Scene Investigation são demasiado demorados e aborrecem. Cortam com o ritmo da leitura, porque - efectivamente - ninguém quer saber o que é que se escreveu nos relatórios. Sobretudo se já foi descrito antes.

Uma pequena parte do livro passa-se quando Renko, o personagem principal, está detido pelo KGB. Mas percebe-se mal o que se passa, porque há demasiadas pessoas.

Talvez a parte mais simples tenha sido a terceira, em Nova York. Mas a história puxa e repuxa as mesmas situações até à nausea.

Não recomendo. Um livro chato, ofensivo e que não conta nada de novo. E nem sequer está muito bem escrito! Acho que vou voltar aos russos verdadeiros, pelo menos esses sabem do que estão a falar.

Sem comentários:

Enviar um comentário