2.12.12

Kara no Kyoukai - Paradox Spiral

Kara no Kyoukai - Paradox Spiral
Iwakami Atsuhiro - ufotable
Anime - Filme
2008
  8em 10
 
Para as reviews dos quatro primeiros filmes desta saga, por favor clicar aqui.

O mais longo dos filmes até agora e, sem dúvida, o melhor. Este filme, que aparece mais ou menos a meio da saga do Jardim dos Pecadores, é mais uma conclusão a toda a história do que outra coisa. Ainda não conhecemos tudo sobre Shiki. Ainda não conhecemos tudo sobre Touka. Mas este é o nemesis final, o confronto com aquele que esteve por trás dos estranhos casos dos outros filmes. 
 
Tudo começa com a história de um rapaz que é "adoptado" por Shiki, passando para a resolução do seu bizarro problema e na entrada dentro de um paradoxo espacial criado por uma criatura bizarra que se apresenta como o arqui-inimigo de Touko. A narrativa não é fixa, mas tem um ritmo quase brilhante em termos de revelação da história. Existem momentos de simbolismo artístico evidentes que tornam a narração ainda mais interessante. Está tudo misturado, mas é fácil de manter a concentração e de seguir a história até ao fim.

Em termos de personagens, temos um desenvolvimento evidente durante este filme. Não há intensas revelações, mas os oponentes estão caracterizados de forma inteligente, sem recurso a histórias passadas traumatizantes nem desejos de futuro carregados de moralidade. Eles são o presente e os seus desejos estão situados no presente. Mais sobre a inteligência e o poder de Touko nos é dito e o filme é quase mais sobre ela do que sobre Shiki. Ainda assim, Shiki é uma estrela que não podemos nunca ignorar. Pela primeira vez em cinco filmes, ela demonstra algum tipo de sentimento, muito ao de leve, quase como se desconhecesse o como e o porquê. Quase diria que está apaixonada.

Existe um forte elemento artístico neste filme, quer pelos fundos quer pela posição da câmara. O CG inunda o ambiente, mas está utilizado de tal forma que em vez de estranhar... Entranha. Temos algumas sequências de animação dentro das melhores que já vi, sobretudo na primeira luta com os "zombies".

A música dá um grande ênfase à beleza das situações, com excepção para a cena de revelação final em que destoou ligeiramente e tirou seriedade (ie. ficou foleiro) O tema final foi muito bem aplicado e foi mais do que perfeitamente apropriado a toda a cascata de sentimentos deste filme.

O melhor até agora, extremamente recomendado. A série num todo é recomendada, mas se alguém quiser ver apenas um dos filmes este é o que eu apontaria. Pelo menos até agora.

Sem comentários:

Enviar um comentário