5.12.13

Estou-me nas Tintas para os Homens Bonitos

Estou-me nas Tintas para os Homens Bonitos
Tina Grube
1996
Romance

Participei em duas trocas no BookCrossing, uma de colecções (colecciono lápis pequeninos, afiados até ao fim) e uma de Samhain (o ano novo pagão). Calhou que a mesma pessoa ficou comigo para as duas trocas e recebi dois livros dela. Uma foi este. Não estava minimamente motivada para o ler, não sou fã da literatura cor-de-rosa e da leitura básica. Mas até foi divertido, apesar de péssimo.

O livro não tem qualquer tipo de conteúdo. Aparenta ser uma sequela de qualquer coisa com homens e chocolate, mas não é preciso lê-la para captar a essência da coisa (que é muito pouca). Linda é uma mulher de negócios. Acompanhamos o seu relacionamento à distância, a sua mudança de emprego, as suas viagens de mulher de negócios e os homens que a tentam seduzir em tais viagens, para detrimento do seu relacionamento à distância. Mas ela está-se a cagar nas tintas e acaba tudo em bem.

O problema chave do livro é que Linda é uma personagem completamente vazia. No anime dizemos que são cortados da caixa dos cereais. Esta personagem é cortada de uma caixa de Fitness. Sem esse tipo de suporte, a história não consegue ser relevante e é impossível identificar-nos com ela, apesar de eu ter tudo para me identificar com ela.

Ainda assim é um aleitura engraçada, mais não seja porque é passada num tempo em que há computadores mas não há telemóveis nem internet. Em que há União Europeia mas não há Euro e é preciso passaporte para viajar entre países membros. As referências são alemãs, por isso impossíveis de apanhar, mas também aparentam estar desactualizadas. Por isso é giro ver como se fazia a vida no trabalho sem ter estas coisas que, hoje em dia, parecem ser essenciais.

Vou libertá-lo, ou numa troca ou num sítio qualquer. Talvez venha a divertir outra pessoa.

Sem comentários:

Enviar um comentário