30.1.14

Onde Crescem Limas Não Nascem Laranjas

Onde Crescem Limas Não Nascem Laranjas
Amanda Smyth
2009
Romance

Já há algum tempo que não recebia um Ring do BookCrossing. Este foi o primeiro do ano.

O livro tinha-me atraído por causa do título. Quando vi o título original ("Black Rock"), questionei-me porque teriam mudado o nome. E ainda mais me questionei quando não encontrei a frase no livro, por mais atenção que tivesse ao momento em que deveria aparecer, indicado pela sinopse. Talvez não fosse atenção suficiente... Mais não gostei quando li a resenha da autora que, pelos vistos, é daquelas "profissionais" que são pagas para irem escrever um livro. Por experiência, o resultado desses esforços nunca é bom. No caso deste livro, não foi nada de fascinante.

Conta a história de Celia, uma jovem de Tobago (Trinidad e Tobago) a quem uma bruxa da aldeia dá informações bastante negativas sobre o futuro. Efectivamente, o futuro dela é bastante negativo. Muito sexual. E é neste ponto que eu acho que a narrativa peca por exagero. É conhecido que eu não aprecio por aí além cenas de sexo. Mas no caso deste livro elas não são sensuais. Na verdade, são muito pouco atractivas, quer a violação quer as cenas de amor. Fizeram-me impressão e eu simplesmente queria que tudo acabasse, pois são gráficas de forma pouco romântica e têm todas uma grande carga negativa. "Lamber como um cão" não é, claramente, a melhor maneira de caracterizar o sexo oral.

A história parece focar-se demasiado no sexo, nas cenas de "acção", sendo que a história acaba resumida e inconsequente. Cheira-me a continuação depois deste livro, mas se vier a existir quero evitá-la de todos os modos.

No entanto, nem tudo é negativo. A caracterização do espaço e da paisagem é luxuriante e apetitosa, quase dando vontade de tirar umas férias e ir visitar um lugar tão delicioso. Podem sentir-se as cores e os cheiros, até os sabores. Valeu a pena a viagem da autora para conhecer o lugar da sua história, porque - efectivamente - está muito bem descrito.

Enfim, um livro que poderá ser mais apreciado por senhoras que não tenham tanta vergonha interna como eu.

Sem comentários:

Enviar um comentário