17.1.14

Catch-22

Catch-22
Joseph Heller
1961
Romance

Agora com o meu fofinho Kobo, posso ler tudo quanto existe, sempre que quiser! Por isso, decidi olhar para umas listas de recomendação e tirar de lá algumas ideias. Tal como no anime, a maioria dos títulos sugeridos já me eram familiares e desses a grande maioria já os tinha lido. Mas há alguns que me faltam e por isso comecei logo a pô-los na poderosa máquina. O primeiro foi este.

Catch-22 é um livro sobre a guerra. Mas de uma perspectiva um pouco diferente. Ao longo do livro acabamos por nos situar na Segunda Guerra Mundial, apesar de tudo parecer um pouco "moderno". Onde é que, então, este livro se distingue? Porque é uma comédia. E não é uma comédia qualquer: é uma comédia absurda. E quem sabe o que é o absurdo sabe também que normalmente ele não é suposto fazer rir.

Mas faz. Faz sempre. No caso deste livro, as situações ilógicas seguem-se umas atrás das outras, com recurso a diálogos circulares que levam à exasperação absoluta, transmitindo assim a ideia do horror que é a guerra e do horror que são os interstícios entre os pelotões e as relações burocráticas entre cada elemento da hierarquia. Existem algumas cenas mais explícitas de eventos que acontecem na guerra. Pessoas desaparecidas, pessoas mortas, todas essas situações descritas num detalhe que não descura a característica principal do livro, a repetição de conceitos e palavras até eles perderem o significado, de forma a que o seu uso não é "o da palavra" mas sim o "do sentimento", sentimento esse de terror e frustração.

Apesar de tudo, existem algumas partes que me fizeram rir. Existem outras partes que me fizeram dar gargalhadas e rebolar pelo chão do gabinete (local onde leio durante o tempo de almoço, né?) As minhas partes preferidas foram a do Major Major Major Major, a morte do Doc Daneeka e o julgamento do capelão.

No geral, uma boa leitura. Acho que posso recomendar, apesar de não o considerar - como muitos - um clássico imperdível.

Sem comentários:

Enviar um comentário